Blog pessoal criado em 2003
19 de Janeiro de 2009


Papa defendeu "casamento indissolúvel entre um homem e uma mulher"

2009-01-19

O papa Bento XVI defendeu domingo a família "formada pelo casamento indissolúvel entre um homem e uma mulher" perante "outras formas de vida em comum", numa mensagem audiovisual nos VI Encontros Mundiais da Família, que terminaram no México.

Bento XVI, que recusou viajar até ao México por razões de saúde, devido à altitude da capital, mais de 2.200 metros, concluiu oficialmente o encontro das Famílias ao intervir em directo por videoconferência desde o Vaticano.

A missão "educativa da família tornou-se difícil por um conceito enganoso de liberdade, no qual o capricho e os impulsos subjectivos do indivíduo se exaltam ao ponto de deixar cada um fechado na sua própria prisão", declarou o Papa, perante mais de 20.000 católicos, reunidos na Basílica de Guadalupe, principal edifício religioso dedicado à Virgem na América Latina.

"Pela sua função social essencial, a família tem o direito a ser reconhecida na sua identidade própria, e não confundida com outras formas de vida em comum", disse o Papa numa primeira mensagem.

Ao longo dos Encontros Mundiais da família, que se iniciaram quarta-feira, os intervenientes sublinharam o compromisso da Igreja na defesa da família tradicional por oposição à estrutura monoparental e à união homossexual.

"Uma experiência homossexual deve continuar uma relação privada, numa relação de amizade", declarou o cardeal Ennio Antonelli, presidente do Conselho pontifical para a família, na abertura deste encontro mundial, onde a presença do presidente conservador mexicano Felipe Calderon, fervoroso católico, suscitou críticas da esquerda do seu país em nome da laicidade do Estado.

O aborto e o casamento homossexual são contrários à vontade expressa por Deus, relembrou o arcebispo tanzaniano Polycarp Pengo.

"Quanto ao aborto, é uma grande tristeza que as pessoas decidam separar a relação sexual do amor verdadeiro, contrariamente à vontade de Deus", insistiu.

Domingo, o discurso de Bento XVI suscitou lágrimas de emoção na assistência, estimada em cerca de 6.000 fiéis dentro da Basílica e mais de 16.000 no adro da igreja, revelou a Arquidiocese do México.

O representante do papa, do cardeal Tarcisio Bertone, secretário de Estado do Vaticano, abençoou os milhares de alianças agitados pelo público.

Estes foram os primeiros Encontros da Família a decorrer na ausência do papa, desde a sua fundação por João Paulo II em 1994.

O México, onde 88 por cento dos cerca de 105 milhões de habitantes são católicos, conta com cinco milhões de mães solteiras, e a capital federal, México, legalizou o aborto, o divórcio "simplificado" e a união homossexual.

publicado por Pedro Quartin Graça às 10:53
Janeiro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
15
20
21
22
23
24
26
27
28
29
30
31
Posts mais comentados
11 comentários
11 comentários
10 comentários
7 comentários
6 comentários
5 comentários
5 comentários
5 comentários
4 comentários
4 comentários
Page Rank
Divulgue:
Bookmark and Share
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
Com o relvas à ilharga só pode perder!
Não ao servilismo em relação a outros estados; sim...
Considero este texto extremamente rico, ao abordar...
Só uma palavra: concordo!
Obrigado pelo seu comentário.PQG
Lembro-me perfeitamente desse dia trágico: a surpr...
É lamentável, cada vez dou-Lhe menos crédito. Mona...
De acordo com os seus pressupostos mas....como diz...
Caro Dr. Pedro Quartin Graça, em obrigação para co...
Muito lhe agradeço a sua atenção! Parabéns!
Twitter:
    follow me on Twitter
    ResearcherID-Plaxo-LinkedIn-Xing:
    Visualizar perfil de Pedro Quartin Graça no LinkedIn Pedro Quartin Graça Intellectual Property/Patents Expert