Blog pessoal criado em 2003
24 de Julho de 2009

Pedro Quartin Graça

A Comissão Política Nacional do Partido da Terra, MPT e o Conselho Nacional do Partido Humanista, P.H., tornaram hoje público que deliberaram constituir uma coligação eleitoral com o objectivo de concorrer, em todos os círculos do Continente, à Eleição dos Deputados à Assembleia da República de 27 de Setembro, denominada FEH - Frente Ecologia e Humanismo. O pedido de registo da referida coligação será efectuado 6ª feira, dia 24, pelas 12 horas junto do Tribunal Constitucional.

publicado por Pedro Quartin Graça às 00:57
03 de Julho de 2009

O QUE JÁ NÃO SERÁ POSSÍVEL REEDITAR: A DUPLA PINO E LINO
publicado por Pedro Quartin Graça às 00:21
02 de Julho de 2009

PÉROLAS ANTERIORES DE PINHO...

publicado por Pedro Quartin Graça às 23:52

El ministro de Economía de Portugal dimite tras llamar cornudo a un diputado

FRANCESC RELEA - Lisboa - 02/07/2009 - El País

La caída de Manuel Pinho se produce a poco más de dos meses de las elecciones y debilita aún más el Gobierno socialista

La fragilidad política del primer ministro portugués, José Sócrates, ha aumentado con un escándalo mayúsculo en el Parlamento, que provocó la dimisión del ministro de Economía, Manuel Pinho. Pésima señal en la recta final de la Legislatura, a poco más de dos meses de las elecciones. La Asamblea de la República, en sesión plenaria, realizaba el último debate parlamentario antes de vacaciones sobre el Estado de la Nación, en el que la oposición en bloque, derecha e izquierda, condenó la política del Gobierno socialista.

El diputado Bernardino Soares, portavoz del grupo parlamentario comunista, estaba en el uso de la palabra, cuando desde su escaño en el banco del Gobierno, el ministro Pinho gesticuló ostensiblemente colocando los dedos índice en la cabeza, para llamar cornudo al diputado del PCP. El debate era sobre la difícil situación que atraviesan las minas de zinc de Aljustrel, en la región de Alentejo.

Soares dijo que el ministro había visitado aquella localidad para entregar cheques. Como respuesta, el ministro hizo el gesto que provocó una sonora protesta en la Cámara, sobretodo en los escaños comunistas y del Bloco de Esquerda, profundamente ofendidos. La cascada de protestas desde todas las filas políticas parecía interminable.

Las disculpas no tardaron en llegar, primero del ministro de Asuntos Parlamentarios, Augusto Santos Silva, que reconoció el "exceso" de Manuel Pinho, y después en boca del jefe de Gobierno, José Sócrates. El ministro en cuestión admitió su error y abandonó la sala. Ante los periodistas dijo que fue "un gesto desesperado". El PCP y el Bloco de Esquerda exigieron la dimisión. El resto de grupos parlamentarios reclamaron disculpas de parte del afectado y del primer ministro.

En un gesto inédito, José Sócrates, condenó el comportamiento de su ministro, que calificó de "inaceptable", y pidió públicamente disculpas en nombre del Gobierno a la Asamblea de la República. "Sé que el señor ministro ya ha dicho estar arrepentido, pero nada justifica aquel acto". Poco después, el primer ministro aceptó la dimisión de Pinho, cuyo puesto será ocupado por el actual titular de Finanzas, Fernando Teixeira dos Santos.

publicado por Pedro Quartin Graça às 23:23

publicado por Pedro Quartin Graça às 09:54

Santana Lopes quer um novo túnel em Lisboa e pede "ajuda" a Deus para a vitória

02.07.2009, Maria José Oliveira - Público

No lançamento da candidatura da coligação "Lisboa com sentido", Santana evocou obra feita no anterior mandato

Foram projectados três filmes na apresentação da candidatura da coligação "Lisboa com sentido", liderada por Santana Lopes, à Câmara de Lisboa, realizada ontem ao princípio da noite na área de estacionamento do Jardim do Arco do Cego (escolha simbólica por ser uma obra feita no seu primeiro mandato na capital). Mas só no último vídeo é que foi revelada a "ideia" sobre a qual a coligação (PSD, CDS-PP, PPM e MPT) "tem trabalhado": a construção de um novo túnel, desta vez uma artéria que fará a ligação da Avenida Fontes Pereira de Melo aos túneis do Campo Grande e do Campo Pequeno.

Apresentado como o "desnivelamento do eixo central" na zona da Praça Duque de Saldanha, o projecto será realizado caso existam "condições financeiras" favoráveis. Por isso, a aposta não consta das prioridades da "primeira fase" do mandato de Santana Lopes, que, ao longo do seu discurso, pediu duas vezes a Deus para "ajudar" a coligação "Lisboa com sentido" a vencer as eleições de 11 de Outubro. Os primeiros planos incidem sobre a acção social. Mas, adiantou, nada impede que a obra tenha início "na primeira parte do mandato". Até porque "vai ser mais simples" e Santana tem a certeza de que "quem embargou a outra [José Sá Fernandes] não vai embargar esta".

A proposta foi recebida com aplausos e bandeiras no ar (muitas da coligação, verdes e brancas, e meia dúzia do PPM) e não foram poucas as vezes em que as palmas interromperam as palavras de Santana, cujo regresso às corridas eleitorais mereceu apoios de peso. Entre as centenas de pessoas que compareceram à apresentação das linhas gerais da candidatura às autárquicas destacavam-se, na primeira fila de lugares sentados, os líderes dos partidos que configuram a coligação: Manuela Ferreira Leite, Paulo Portas, Pedro Quartin Graça e Nuno da Câmara Pereira.

Também nas primeiras filas estavam antigos ministros do Governo PSD/CDS-PP (Bagão Félix, Rui Gomes Silva, José Luís Arnaut, Teresa Caeiro, José Pedro Aguiar Branco, António Monteiro), a bancada parlamentar do CDS--PP, muitos deputados do PSD (Mota Amaral, Miguel Frasquilho, Pedro Duarte, Miguel Almeida), Pedro Passos Coelho, Hermínio Loureiro, Marques Guedes e Miguel Relvas.

E não faltaram ainda os artistas que sempre acompanharam Santana Lopes, como Maria José Valério, Vítor Espadinha, João de Carvalho, entre outros. Na tarde em que começou "a dinâmica para que Lisboa volte a ser feliz", anunciou o speaker, foram ainda lidas duas mensagens, enviadas por Paulo Rangel e por Alexandre Relvas.

Perto das 20h00, já depois da actuação do vocalista dos Pólo Norte (versão acústica do apropriado tema Lisboa, Lisboa) e da projecção de dois filmes (num mostrou-se a obra feita no anterior mandato de Santana; no outro, uma "viagem" pelo estado actual, desde obras paradas ao trânsito), o candidato sintetizou o seu programa para a capital, deixando quase para o fim o apelo a uma "maioria estável" para a câmara e para a assembleia municipal.

Salientou as promessas da procura de uma "eficiência energética", da "eliminação das barreiras arquitectónicas" e da extinção da Sociedade Frente Tejo ("não descansaremos enquanto essa sociedade não for extinta e os seus poderes devolvidos à câmara") e, já num clima de pré-campanha, desfiou um rol de críticas ao actual executivo de António Costa. Que "governa sem nexo, com preconceito, com submissão ao Governo e sem verdade". Quanto às relações com o futuro Governo, e a prenunciar uma eventual vitória do PSD nas legislativas, Santana dirigiu-se a Manuela Ferreira Leite: "Espero ter a oportunidade de lhe dizer que não algumas vezes, a partir de Outubro."
publicado por Pedro Quartin Graça às 08:28

Santana Lopes quer "Lisboa com Sentido" e promete novo túnel no centro da cidade


O parque de estacionamento do Jardim do Arco do Cego está lotado. Dos mais velhos aos mais novos, social-democratas e representantes da coligação - Paulo Portas (CDS), Nuno da Câmara Pereira (PPM) e Pedro Quartin Graça (Partido da Terra) - vieram dar apoio a Santana Lopes na apresentação da candidatura "Lisboa com Sentido" à Câmara de Lisboa.

Entre as propostas apresentadas, o ex-autarca anunciou que, caso ganhe, quer construir um novo túnel, que ligue a Avenida Fontes Pereira de Melo aos túneis do Campo Grande e do Campo Pequeno: "É uma obra que é mais simples do que a outra. Até porque temos a certeza de que quem embargou a outra não vai embargar esta", disse, numa referência ao actual vereador dos Espaços Verdes, José Sá Fernandes que interpôs uma providência cautelar ao Túnel do Marquês, em 2004, provocando um atraso de um ano e meio na conclusão do túnel.

Santana quer voltar ao Parque Mayer e diz que as receitas do Casino de Lisboa vão financiar o Parque e que os arquitectos portugueses em cooperação com Frank Gehry , o norte-americano que cobrou 2,5 milhões de euros pelo projecto inicial de reconstrução, vão encontrar uma "solução a partir de Outubro". Sobre o terminal de contentores, Santana garante: "Não descansaremos até que a Sociedade da Frente Tejo seja extinta e os poderes voltarem à câmara." Para o candidato, a polémica em torno dos contentores deve-se à "submissão" de António Costa ao governo. Mais do que uma recandidatura - porque "assume o que fez", Santana diz que esta é uma candidatura "com novos projectos e pessoas".

Público - Sónia Cerdeira, com Patrícia Silva Alves
publicado por Pedro Quartin Graça às 08:08
Julho 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
25
26
27
28
29
30
31
subscrever feeds
Posts mais comentados
11 comentários
11 comentários
10 comentários
7 comentários
6 comentários
5 comentários
5 comentários
5 comentários
4 comentários
4 comentários
Page Rank
Divulgue:
Bookmark and Share
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
Com o relvas à ilharga só pode perder!
Não ao servilismo em relação a outros estados; sim...
Considero este texto extremamente rico, ao abordar...
Só uma palavra: concordo!
Obrigado pelo seu comentário.PQG
Lembro-me perfeitamente desse dia trágico: a surpr...
É lamentável, cada vez dou-Lhe menos crédito. Mona...
De acordo com os seus pressupostos mas....como diz...
Caro Dr. Pedro Quartin Graça, em obrigação para co...
Muito lhe agradeço a sua atenção! Parabéns!
Twitter:
    follow me on Twitter
    ResearcherID-Plaxo-LinkedIn-Xing:
    Visualizar perfil de Pedro Quartin Graça no LinkedIn Pedro Quartin Graça Intellectual Property/Patents Expert