Blog pessoal criado em 2003
17 de Abril de 2010

"Cabo Verde não deveria ter sido independente"


Lembro - me bem de um episódio passado com Mário Soares. Era ele Primeiro - Ministro e teve a simpatia de receber na Residência Oficial de S. Bento uma delegação das direcções da ALTAN/AAYPL - Atlantic Association of Young Political Leaders de que eu fazia, à época, parte. Estávamos na década de 80 em pleno governo do "Bloco Central". Já na altura, no meio dos habituais croquetes, recordo-me de lhe ter feito uma pergunta sobre "alhos" e de, ter surpreendentemente, ter recebido uma resposta sobre "bugalhos". Pensei cá para mim: o senhor teve uma "ausência", o que não deixava de ser preocupante para quem, à data, ainda era um político relativamente novo. Daí para cá as "ausências" de Soares foram-se tornando algo frequentes. Uma das mais recentes foi a "estranha resposta" dada à comunicação social acerca do ex- Presidente do CDS - PP José Ribeiro e Castro. No meio destes episódios, Soares consegue por vezes surpreender positivamente. Foi o caso da sua última declaração pública acerca da sua oposição a que Cabo Verde fosse independente. A declaração foi produzida esta semana "na minha casa". Soares afirmou que "o arquipélago "teria muito a ganhar" em ter evitado a separação em relação a Portugal". E acrescentou:"Eu sempre achei que Cabo Verde não deveria ter sido independente, não assisti à independência de Cabo Verde por isso mesmo", disse, no colóquio "Vozes da Revolução: Guerra Colonial e Descolonização", realizado no Instituto Superior das Ciências do Trabalho e da Empresa (ISCTE). E mais adiantou: (...) "Cabo Verde não é propriamente África porque Cabo Verde é um arquipélago do norte do Atlântico e que há uma relação que deveria ter sido mais explorada entre os três arquipélagos existentes que são Europa, ou seja, Açores, Madeira, depois Canárias e podia ser Cabo Verde".

A afirmação chegou mais de 30 anos passados sobre a data do infeliz processo de "descolonização exemplar" de que Portugal, com Mário Soares à cabeça, foi público autor. Desta vez Mário Soares teve um momento de grande lucidez. Portugal e Cabo Verde teriam tudo a ganhar se, desde o início, aquele país atlântico tivesse permanecido próximo da "terra mãe". Tal não aconteceu e Cabo Verde fez, e bem, desde 1975, o seu próprio caminho. Hoje é uma das nações mais jovens do mundo, com uma média de idade de 24 (!) anos. Significa isto que tem todo o futuro à sua frente. Portugal, ao invés, parou no tempo e definha ano após ano.

30 anos passados, a história registará que Mário Soares disse uma verdade. O tempo é que entretanto passou e a "a água não passa duas vezes debaixo da mesma ponte" ou, dito de outra forma, há oportunidades que só se alcançam uma vez. Portugal perdeu a sua. Ficámos todos a perder!

publicado por Pedro Quartin Graça às 09:32

CorretorEmoji

Comentar via SAPO Blogs

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Abril 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
18
19
20
21
22
23
25
26
27
28
29
30
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
Posts mais comentados
11 comentários
11 comentários
10 comentários
7 comentários
6 comentários
5 comentários
5 comentários
5 comentários
4 comentários
4 comentários
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
Com o relvas à ilharga só pode perder!
Não ao servilismo em relação a outros estados; sim...
Considero este texto extremamente rico, ao abordar...
Só uma palavra: concordo!
Obrigado pelo seu comentário.PQG
Lembro-me perfeitamente desse dia trágico: a surpr...
É lamentável, cada vez dou-Lhe menos crédito. Mona...
De acordo com os seus pressupostos mas....como diz...
Caro Dr. Pedro Quartin Graça, em obrigação para co...
Muito lhe agradeço a sua atenção! Parabéns!